Plano de ação

O plano de ação é o instrumento condutor de todo o trabalho realizado pela Secretaria de Educação para implantar o ensino remoto. Numa matriz estão listadas diversas possibilidades de ação. Cada rede pode se inspirar nelas para criar seu plano ou adaptar um já existente, levando em conta sua realidade e os dados apresentados no diagnóstico previamente realizado. O documento é dividido em duas etapas: setup e implementação.

O setup é dedicado à configuração das ações necessárias para que o projeto tenha início. Estão incluídos aí o kickoff, um pontapé inicial (definição da equipe e das primeiras diretrizes para pôr em prática o plano emergencial); o diagnóstico (mapeamento da estrutura tecnológica e logística da rede, do acesso dos estudantes à tecnologia e de formas de comunicação entre escola e alunos); e o desenho do plano de ação de aprendizagem remota (criação e desenvolvimento de estratégias, ações e atividades que garantam o atendimento dos estudantes durante a pandemia).

Na etapa de implementação são detalhados os seguintes pontos: preparação da infraestrutura digital e analógica que vai tornar possível levar o conteúdo remotamente ou impresso aos alunos; comunicação à comunidade escolar sobre o projeto; formação de professores e preparação de alunos e familiares para o ensino remoto; acompanhamento do processo para que o conteúdo chegue aos estudantes; e engajamento das famílias e da comunidade visando à aprendizagem. Por fim, o documento prevê o registro do desenvolvimento de todo o trabalho. Todas as ações são descritas passo a passo, cada um deles acompanhado de seu responsável e de um cronograma.

Ao realizar esse planejamento, a rede toma grandes decisões: vão ser usadas plataformas de ensino on-line? Será necessário buscar parcerias para oferecer dados patrocinados? A prioridade será a transmissão de aulas e conteúdos por meio da TV? Ou o foco será a distribuição de material impresso? O plano de ação, é importante lembrar, não fica restrito ao trabalho com a educação. Nele estão presentes, entre outros pontos, mecanismos de coordenação com a área da saúde. Dessa forma, evita-se, por exemplo, que a entrega do material didático impresso cause aglomerações, o que infringiria as medidas de distanciamento social.

Assim que a produção do plano é concluída, ele deve ser validado na Secretaria de Educação ou nas instâncias legais do estado ou do município. Só então ele é posto em prática – sempre com o acompanhamento dos líderes responsáveis. Começa, então, a etapa de implementação, descrita a seguir.